ABSENTEÍSMO, PRESENTEÍSMO E SABOTAGEM NO TRABALHO.



FALTAS FREQUENTES, FALTA DE PRODUTIVIDADE E AFASTAMENTO DO TRABALHO RESULTAM EM ALTOS ÍNDICES DE ABSENTEÍSMO, PRESENTEÍSMO E SABOTAGEM NO TRABALHO.


Atualmente as faltas frequentes, falta de produtividade e longos períodos de afastamento do trabalho estão fazendo com que cada vez mais os gestores de Recursos Humanos das empresas se atentem ao absenteísmo, presenteísmo e a sabotagem no trabalho.


Absenteísmo é o nome que se dá a ausência física do trabalhador no ambiente de trabalho (seja por atrasos ou faltas). E isso pode acontecer por diversas causas como por exemplo: condição de saúde, doenças, problemas pessoais, dificuldade de transporte, doenças na família, desmotivação no ambiente de trabalho, etc.


Muitas vezes as empresas contratam uma empresa de Medicina do Trabalho relatando a quantidade de atestados que os funcionários entregam justificando as suas faltas. É preciso analisar primeiramente o motivo dessas faltas constantes. De acordo com o Dr. Marcelo Penteado, o alto índice do absenteísmo na empresa (ou seja, as faltas frequentes), é porque fatores negativos na organização estão motivando as faltas dos colaboradores.


Muitas vezes é um ambiente de trabalho não adequado e que não satisfaz as necessidades destes funcionários. O colaborador se sente desanimado e qualquer motivo faz com que ele pegue um atestado.


Já os afastamentos de trabalho decorrem de fatores como: acidentes de trabalho, depressão, LER (lesão por esforço repetitivo), estresse, entre outros.


Dessa forma, o médico do trabalho precisa identificar os fatores sociais, psicossociais e cognitivos desta empresa através da análise da Macroergonomia (análise ergonômica num enfoque macro considerando fatores internos e externos).


Porém, a ausência física não é o único tipo de ausência de um colaborador no ambiente de trabalho. O presenteísmo e a sabotagem do trabalho também são fatores a serem considerados num ambiente de trabalho desfavorável.


O presenteísmo consiste na ausência mental do trabalhador devido a mal estar físico ou emocional, problemas pessoais ou com o próprio trabalho, que fazem com que a produtividade e rendimento caiam exponencialmente.


Em outras palavras, o funcionário está apenas de corpo presente, porém não consegue ter um rendimento esperado. E isso pode estar relacionado a outros fatores como: dívidas financeiras, problemas familiares ou extra-laborais que dificultam a concentração desse colaborador no ambiente de trabalho. A falta de motivação, insatisfação e um mau ambiente de trabalho também fazem com que ele não responda às pressões do ambiente de trabalho.


Se existem problemas exponenciais na organização, é possível que o colaborador comece a desenvolver problemas físicos e psíquicos.


Já a sabotagem do trabalho, pode acontecer porque o ambiente de trabalho pode estar tão ruim que o funcionário, às vezes, propositalmente, pode atuar prejudicando a empresa.


Ele começa a tomar condutas que levam prejuízos diretos à empresa. Como quebra de uma máquina entre outros danos que desfavorecem a organização.


Os Médicos do Trabalhos precisam analisar todos os fatores organizacionais, psicossociais e cognitivas para identificar se de fato existe a satisfação do colaborador no ambiente de trabalho na medida que possa impedir a existência de alto absenteísmo, presenteísmo e sabotagem no ambiente de trabalho.


Dr. Raimundo Leal é Especialista em Medicina do Trabalho RQE1067 e Perito Judicial RQE3465, apto à fazer a análise análise macroergonômica na sua empresa.

Estamos à sua disposição. Entre em contato conosco: (86) 99834-0724 ou através do e-mail: rmartinsleal@yahoo.com.br








11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

FICHAS MEI